Pesquisar

5 poemas de Mariana Artigas

por Mariana Artigas
Arte: The Sea, de John Frederick Kensett.

Mariana Artigas, nasceu em Curitiba em uma quinta-feira do mês de novembro. É formada em Arte Dramática pelo Colégio Estadual do Paraná e está no sétimo período do curso de Letras Português-Inglês da PUCPR. Em junho de 2022 lançou seu primeiro livro, Ossatura sutil, pela editora Urutau.


mitologia

tateando sobre o escuro,
alfinetando sonhos
e ossos,
todo ócio ruminando
um cativo silêncio
que me faz companhia.
fósforos acesos,
afetos desalinhados
perseverando o destino.
uma maré baixa
me acolhia.
todo silêncio entre
seus lábios e os meus
transportam um incêndio
desalinhado sob medida.
dois corpos findando
a odisseia e a ilíada.


dalila

o início de um dilúvio
à deriva, ao raiar da aurora
um novo augúrio,
educar meus olhos,
educar meus lábios,
amar-te silenciosamente,
perto da silhueta
de árvores silenciosas.
deixe-me dançar
como dalila,
enquanto firmo os pilares
de uma nova consciência,
enquanto ensino-te
uma nova forma de perigo,
como adestrar
a raiva convulsa
diante da sutura
imediata das palavras.


ílio

sob os vestígios da tua memória fiz uma promessa a minha escrita:
jamais deixar irromper em morte a solidão que me fascina.


magnólia

amo o silêncio como quem venera o mistério.


útero

ensina-me a compreensão
confessa dos desejos,
amor, ensina-me
como se eu fosse medeia
a parir os frutos
desse ventre bárbaro,
num dia de sol a pino,
numa noite de lua cheia.


Arte: The Sea, de John Frederick Kensett.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIAS :
HORAS :
MINUTOS :
SEGUNDOS

— pré-venda no ar! —

Literatura nórdica
10% Off