o general & puna-se a vítima

por Eber Freitas
estátuas para eber freitas

Eber Freitas é jornalista e escritor sem ISBNs em seu nome.


o general

glaucão, tentei aprender o que podia
de submissão total, podolatria,
ao ler teus dissonetos de memórias
sentimentais. li todas as histórias.

mas capachismo vence a putaria;
até ministro foge da porfia
lambendo sola e pé com acessórias
escusas, despojando-se de glórias.

o orgulho atira ao chão com farda e tudo,
medalhas e comendas… e, contudo,
recebe só um tapa de consolo
após fazer gozar com tanto dolo.

difícil, glauco, é saber que o rudo
serviçalismo de tesão é mudo;
o general lambeu gala em adolo
e a língua só tocava num tijolo.


puna-se a vítima

i

sua excelência, é um caso dado:
nosso cliente nada fez de errado!
a querelante falha em apontar
qualquer conduta menor que exemplar.

a súcubo licenciosa, a par
dos fatos, mente e inventa sem crispar.
observe bem do meu cliente o estado;
estuprador? um homem acuado!

agora exponha-se no julgamento
o jeito como veste-se a mulher,
que se comporta como uma qualquer.

insinuante, com enxerimento
de marafona experiente, quer
posar de santa neste lé com cré.

ii

proponho, enquanto promotor — portanto
acusador — uma abordagem branda:
livrar o réu conforme o rito manda.
explicarei. contenham vosso espanto.

tem porra e sangue em tudo que é canto,
o réu mentiu, o que havia na demanda
colocaria fim à traquitanda.
sigamos noutra direção, no entanto.

existe a mínima chance, excelência
de que o rapaz, um homem como nós,
violentou de forma inadvertida.

compreensível; logo, leniência
devemos ter. melhor assim que, após
alegações, ter pena assentida.

iii

se as partes pugnam em favor do réu,
este juízo nada tem a opor
a vítima, no extático torpor,
abandonou sua vergonha ao léu.

assim julgado, finda-se o escarcéu
na dúvida, não vou tirar nem pôr.
citando esta ex-donzela um estupor,
concedo-lhe casar de branco e véu.

publique-se a sentença, fim de papo.
que fique o ensinamento para a moça:
evite escarranchar essas pernocas.

resguarde a concha para um gajo guapo,
endinheirado, de paixão insossa.
alguém daqui, talvez, a pôr-te as chocas.


Foto de Luísa Machado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

faz um PIX!

Caso dê erro na leitura do QRCode, nossa chave PIX é editora@aboio.com.br

Comprando durante a pré-venda, você garante o livro com 10% de desconto e ainda leva o nome impresso nele! Clique aqui e saiba mais.

faz um PIX!

Caso dê erro na leitura do QRCode, nossa chave PIX é editora@aboio.com.br

Comprando durante a pré-venda, você garante o livro com 10% de desconto e ainda leva o nome impresso nele! Clique aqui e saiba mais.

DIAS :
HORAS :
MINUTOS :
SEGUNDOS

— pré-venda no ar! —

Literatura nórdica
10% Off

Shopping cart close