Pesquisar

em roda

por Tomás Fiore Negreiros
Tomás Fiore Negreiros

Acorda às 5h. Pula alba, veste camisa, calça a calça, zipeia o tênis, boné na
cabeça. Viseira. Pega a visão. Pega a magrela. Sente ela, senta nela, pedapedapedalapedalapedalapedala. Descansa. Desce morro, da vila. Felicidade, só se for o nome. Bag nas costas. É térmica mas o calor esquenta. É quente! Esquenta, sobe, empina numa sua, rua. Ó la, quebrada do Matheusão. Segue. Antes era de trem, aquele trem, surfava o trem. Descia na Sé. Ohhhhh Sé. Cé loko, quase um ano. Agora só na bike. Aglomerar não da’ não. Não. Só. pedapedapedalapedalapedalapedala. Ta’ quase lá. Quase 8h. Essa subida da
augusta é treta. Foda. Sobe. Paulista. Respirarespirarespira. Agora é sussa, fica do lado do Carrefour que é sucesso. É? Pão Pulmmam, manteiga aviação, maçã Fugi, bolo de laranja. Vila Buarque. É perto, tá sussa. Aceita. corre, pega o produto, sobe na bike. pedalapedalempinograupedalapedala. Pega a consolação no consolo do sopro assobiado do som da brisa que bate na barba. Dá um respiro. Mas uma puta fome. 787,788…789. Aqui. Opa, bom dia! Marcelo? Isso, confirma o valor pra mim amigão. 20. Débito. Precisa da sua? Não precisa não. Bom dia. Valeu, igualmente. Ronca a barriga. Agora a subida. Força nas pernas que eu preciso da minha. Força. pedapedapedalapedalapedalapedala. Não vai da seta não ô comédia?!?! Filha da PUta. Ta’ quase. Ufa. Respira. Volta pro mercado. Espera, espera, espera. Lembra da bolacha. Come a bolacha. Mastiga a bolacha. Oferece a bolacha. Opa, valeu irmão. Salvo. Amém. Quer da um tapa? Só se for agora. Chapa. espera, espera, espera. 10h. Já deschapou. Que dia merda. 11h30 Agora vai. Restaurante Vila Mariana. Cheiro. Restaurante Jardins. Cheiro. Restaurante Aclimação. Cheiro. Restaurante recheirando o cheiro de Moema até as Bela’ Paulista. Pedapedapedalapedalapedala. Já ta com fome de novo? Caralho. Engrenagem enferrujada. Dá uns rangidos, às vezes ela grita. Geme? Queria mesmo uma mina gemendo pra mim. Ta’ falando bosta ai neguim. Pedapedapedalapedalapedala. 17h. Já deu pra mim. Vo dormi aqui no centro hoje não. Também sô filho do sinho. Amém. Não quer fuma um último? Demoro. Chapa ?! É nois mano, até amanhã. Entardecer, vermelho sangue. Mó bonito, caralho. Deus é foda. Pedapelapedalapedalapedala. Vai descendo, engolido pelo mundo, pedapedapedalapedaaalapedala, pelas correntes, pelos aros, pedaaaalapedaaaala, pelos faróis, peeeeedaaaaalapedaaaaala, pelos pneus, peeeedaaaaalapeeeeedaaaaala, pelas buzinas, peeeedaaalacorda às 5h. Pula alba, veste camisa, calça a calça, zipeia o tenis, boné na cabeça … Pedapedapedalapedalapedala


Tomás Fiore Negreiros é psicólogo. 1,71 m de altura, 63 kg, calçado tamanho 41. Gosta de canja, realities shows e também escreve para a revista Frentes Versos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DIAS :
HORAS :
MINUTOS :
SEGUNDOS

— pré-venda no ar! —

Literatura nórdica
10% Off